PRF alerta sobre o que não se deve fazer em caso de acidente

policial rodoviário federal Guido Mayol explica como a curiosidade das pessoas ao se depararem com acidentes de trânsito nas rodovias é um ato considerado desagradável e prejudicial.

Guido Mayol. Colaborador REDE NOTÍCIAS.
13/05/2009 - 08h00

PRF alerta sobre o que não se deve fazer em caso de acidente

Porque acidentes atraem as pessoas? Qual o motivo desta curiosidade, denominada de mórbida? O que leva as pessoas a pararem seus carros na rodovia para assistirem momentos terríveis de sofrimento alheio? 

É bem antigo o costume de contemplar a dificuldade dos outros, vem da antiguidade o hábito de se divertir com o sofrimento alheio, as famílias romanas adoravam quando cristãos eram devorados por leões, a praça ficava cheia de pessoas quando ocorria um enforcamento, hoje milhares de pessoas se deliciam assistindo, vendo e revendo fotos de acidentes como o do avião da TAM, mas porque isso ocorre?
 
Várias justificativas podem ser enumeradas para esta atitude humana, os psicólogos destacam que as pessoas se interessam por poderem transferir sua agressividade e violência para estes conteúdos, outros teóricos destacam o fascínio pelo desconhecido, pelo outro lado, o lado da morte, para mim, o mais próximo da realidade humana é a deformidade da personalidade, do caráter, o ser humano sente prazer pelo horror, pela desgraça dos outros.
 
Na grande maioria dos acidentes pode-se observar a presença de curiosos, pessoas que deixam seus afazeres ou mesmo seus momentos de lazer, para se satisfazerem com momentos de contemplação sobre o sofrimento alheio, nem mesmo quando são penalizadas por este comportamento vil elas se corrigem, sempre que alguém pára ou estaciona seu veículo para bisbilhotar um acidente, está sujeito as punições do código de Trânsito e pode ser autuado, terá que pagar multa e ainda perderá pontos em seu prontuário, as infrações para este tipo de comportamento variam de leve a grave e podem chegar a R$ 127,69 e cinco pontos na carteira.
 
Além disso, este comportamento acarreta risco e transtorno para a sociedade, quando alguém pára próximo a um acidente pode levar a outro acidente, dificulta o atendimento das vítimas, atrapalha o trabalho dos médicos, dos serviços de emergência e dos policiais responsáveis pelo gerenciamento da crise em questão.
 
Por isso motorista, seja consciente e use o bom censo, só pare próximo a um acidente se puder ajudar ou se for solicitado, cumpra as determinações da autoridade no local e siga sua viagem, você também é responsável por um trânsito melhor, ajude a salvar aquela vida que corre risco.

Patos Notícias


Patos Notícias


Patos Notícias