Fiscalização da ANP, em Patos de Minas, fecha bomba que abastecia 300 ML a menos de combustível

O objetivo da fiscalização era buscar equipamentos que adulteravam a quantidade combustível liberada aos consumidores.

22/11/2019 - 17h06

Fiscalização da ANP, em Patos de Minas, fecha bomba que abastecia 300 ML a menos de combustível

A ANP (Agência Nacional de Petróleo), a Secretaria de Fazenda do Estado de Minas Gerais (SEF/MG) e o Instituto de Pesos e Medidas (Ipem-MG) realizaram, nesta semana, uma força-tarefa para fiscalizar o mercado de combustíveis de Patos de Minas. O objetivo era buscar equipamentos que adulteravam a quantidade combustível liberada aos consumidores.

Em entrevista à reportagem da Rádio Clube 98, o fiscal Ricardo Soares explicou que alguns chips podem ser utilizados para reduzir a quantidade de combustíveis. “Aquela quantidade de combustível que você olha na bomba tem que ser a que vai para seu carro. E também olhamos a qualidade”, disse ao repórter Toninho Cury.

Ainda de acordo com o fiscal, uma das bombas fiscalizadas em Patos de Minas apresentou diferença de 300 ML. “A gente olhou 10 bombas com diferença de volume. Uma bomba chamou a atenção por que deu uma diferença de 300 ML, mas foi só uma bomba”, explicou.

O especialista em regulação da ANP, Ricardo Fonseca Soares, não informou para a imprensa os nomes, endereços dos locais fiscalizados e nem mesmo quais bombas foram interditadas. O Posto Xandó que recebeu a fiscalização, nesta manhã com a participação da imprensa, está com toda documentação e equipamentos regulares e nada de ilícito ou incompatíveis com as regras da Agência Nacional de Petróleo foi encontrado.

Fonte e Fotos: Toninho Cury

Patos Notícias


Patos Notícias


Patos Notícias