Acusado de tentar matar a ex-companheira, “Du Beicinho” é condenado a 12 anos de prisão

Os crimes aconteceram no dia 29 de janeiro 2019, na Rua Odette Conceição Cyrino, Bairro Copacabana.

31/10/2019 - 09h41

Acusado de tentar matar a ex-companheira, “Du Beicinho” é condenado a 12 anos de prisão

Diego Fernandes de Castro, conhecido como “Du Beicinho”, acusado de tentar matar a facada a ex-amásia, Patrícia Ferreira da Silva, e agredir a ex-sogra Divina Ferreira da Silva, foi condenado a 12 anos de prisão, em julgamento ocorrido na tarde desta quarta-feira (30), no Fórum Olympio Borges. Os crimes aconteceram no dia 29 de janeiro 2019, na Rua Odette Conceição Cyrino, Bairro Copacabana.

De acordo com os autos do Ministério Público, o feminicídio ocorreu por causa de ciúmes. “Du Beicinho” não estava admitindo o fim do relacionamento e não queria que a ex-companheira assumisse outro namoro.

“Du Beicinho” manteve um relacionamento amoroso com Patrícia por cinco anos. Em razões das constantes agressões e ameaças de morte, Patrícia resolveu se separar e foi morar com a mãe.

Inconformado com o fim do relacionamento, ele se deslocou para as proximidades do trabalho de Patrícia no intuito de matá-la. A patroa dela, ao perceber a presença do ex, ligou e informou a Patrícia que o rapaz estava no bairro.

Acompanhada da mãe, Patrícia se dirigiu para o trabalho e, ao chegarem próximo da casa da sua patroa, “Du Beicinho” se aproximou e pediu para ela reatar o relacionamento com ele. Ao ser informado por Patrícia que não haveria chance, ele sacou uma faca e desferiu vários golpes.

Ferida, Patrícia conseguiu correr para dentro de uma casa que estava com o portão da garagem aberto. Nervoso, “Du Beicinho” foi atrás e continuou a desferir golpes contra a ela.

Neste instante, a mãe de Patrícia interveio e conseguiu empurrar o agressor. “Du beicinho” partiu para cima da ex-sogra e a jogou no chão, causando alguns ferimentos e continuou a desferir golpes de faca em Patrícia.

A ex-sogra então pegou dois tijolos e os arremessou contra a cabeça do agressor. Depois, Patrícia conseguiu fugir para outra casa. Durante esse período de agressão, populares acionaram a Polícia Militar que conseguiu localizar e prender o agressor.

Depois de algumas horas de julgamento, Diego Fernandes de Castro foi condenado a 12 anos de prisão.


  • Galeria
  • Galeria
  • Patos Notícias
Fonte e Fotos: Toninho Cury

Patos Notícias


Patos Notícias