Ex-prefeito de Carmo do Paranaíba e mais três pessoas são presas por corrupção ativa e lavagem de dinheiro

A Polícia Militar cumpriu cinco mandados de prisão, porém apenas quatro acusados foram presos. O ex-vereador João Dias Filho, 69 anos, está foragido.

Igor Nunes
05/09/2019 - 17h57

Ex-prefeito de Carmo do Paranaíba e mais três pessoas são presas por corrupção ativa e lavagem de dinheiro

O ex-prefeito de Carmo do Paranaíba Marcos Aurélio Costa Lagares (Marcão), de 46 anos, e outras três pessoas foram presas no início da tarde desta quinta-feira (05/09). Todos são acusados de cometerem crimes de corrupção ativa e lavagem de dinheiro. Cinco Mandados de prisão foram cumpridos pela Polícia Militar. Os presos foram encaminhados para a penitenciária da cidade. Um ex-vereador está foragido.

De acordo com informações do capitão Diomásio, comandante da Polícia Militar de Carmo do Paranaíba, os mandados expedidos pela justiça e foram entregues no início da manhã desta quinta (05). Já no início da operação houve a prisão do ex-prefeito Marcos Aurélio Costa Lagares “Marcão”, de 46 anos, o ex-contador do município, Gilberto Vieira Braga, de 54 anos, o ex-contador Vivaldo Moreira de Deus, de 55 anos, e o diretor geral João Batista Fernandes, 61 anos, ambos da da Câmara Municipal de Carmo do Paranaíba. O outro mandado de prisão é para o ex-vereador João Dias Filho, de 69 anos, mas ele não foi localizado pelos militares.

Ainda de acordo com o Capitão Diomásio, os cinco foram condenados em 2ª instância pelos crimes de corrupção ativa e lavagem de dinheiro, sendo que eles devem iniciar o cumprimento da pena que é de 8 anos (para cada um) em regime fechado. Diomásio ressalta que todos os presos estiveram ou estão envolvidos com as administrações públicas da cidade. A maioria dos crimes cometidos pelos condenados ocorreu há aproximadamente 8 anos atrás. No ano de 2016 quando então prefeito de Carmo do Paranaíba, Marcos Aurélio Costa Lagares, já havia sido condenado a dez anos e quatro meses de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro, organização criminosa, corrupção passiva e falsidade ideológica, mas não chegou a ser preso.

Os presos foram entregues na delegacia de Polícia Civil em Carmo do Paranaíba. Em seguida eles foram encaminhados para a Penitenciária Nossa Senhora do Carmo, para darem início ao cumprimento das penas.


  • Galeria
  • Galeria
  • Patos Notícias
Fotos e informações: Julio César - To Na Mídia
Texto: Vanderlei Gontijo