Construção de abatedouro será empreendimento significativo para Patos de Minas, diz superintendente

As obras do Frigopatos terão início no mês de agosto e estão previstas para serem concluídas em 18 meses.

Caio Machado
05/07/2019 - 16h39

Construção de abatedouro será empreendimento significativo para Patos de Minas, diz superintendente

No mês de agosto terá início a construção do abatedouro da Cooperativa Frigorífica de Patos de Minas e Região Ltda. A obra estimada em 14 milhões e 950 mil reais está prevista para durar até o ano de 2021.

A maior parte do dinheiro obtido pelo projeto do Frigopatos foi financiado pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), cujo montante é de R$11.530.000.

O projeto prevê a construção de galpões com um total de 6.352,57m², além de áreas externas como uma indústria de 2.495,05m², escritórios, vestiários e refeitórios que ocuparão 1.834,11m², pocilgas e currais com 1.735,75m², pátios e ruas asfaltadas em 11.033,85m², pátios sem asfaltamento de 1.239,55m² e estruturas da ETA e ETE com 288,66m².

De acordo com o superintendente José Zacarias Nunes, a construção do projeto recebeu críticas de que estaria usando a verba do BNDES de forma irregular e que a cooperativa seria um cabide de empregos.

“Somos apendas dois servidores conduzindo o processo e atendendo a todos os compromissos legais que recaem sobre a cooperativa. Nosso estatuto determina que os diretores não recebem nenhuma remuneração para o exercício dos cargos e impede a contratação de funcionários que tenham parentesco até segundo grau com os mesmos”, disse Zacarias desmentindo os boatos.

Segundo Zacarias, o projeto sequer saíria do papel sem o apoio financeiro do BNDES, pelo fato de não dispor de recursos e não possuir fins lucrativos. Ele também ressalta que não existe nenhum abatedouro na região num raio de mais de 200km.

“Existem empresas realizando abates em Araguari, há cerca de 250 km de Patos, o que implica em deslocar 1.000 km para cada lote de animais a ser abatidos, pois a carga viva vai em um veículo, que volta vazio, e depois outro veículo frigorificado se desloca vazio e retorna trazendo as carcaças resfriadas”, detalhou.

Zacarias salienta a satisfação pela cooperativa estar trazendo “um empreendimento tão significativo para Patos de Minas e Região, além dos benefícios para a população, geraremos entre 50 e 100 empregos diretos”.


  • Galeria

Patos Notícias


Patos Notícias


Patos Notícias