Jovens são detidos por suspeita de matar e queimar corpo de rapaz no Bairro Sorriso

O crime teria sido motivado por uma dívida de drogas.

Igor Nunes
04/07/2019 - 07h27

Jovens são detidos por suspeita de matar e queimar corpo de rapaz no Bairro Sorriso Wellington confessou o crime.

Dois homens foram presos, e um menor foi apreendido, na madrugada desta quinta-feira, dia 04 de julho, acusados de envolvimento em um assassinato ocorrido na última sexta-feira, dia 28 de junho, no Bairro Sorriso. Até o momento, suspeita-se de que o crime foi motivado por uma dívida que a vítima, Frederico Antunes Oliveira, 19 anos, tinha com Wellington dos Santos Caixeta, de 20 anos, conhecido como “Diocrim”.

Segundo informações repassadas pelo Tenente Clênio da Polícia Militar, denúncias indicavam que Wellington e um adolescente de 17 anos, teriam matado um rapaz com facadas e pauladas. Além disso, a informação também sinalizava que os envolvidos incendiaram e esconderam o corpo da vítima em um lote fago, localizado ao lado da residência do suposto autor do crime, no Bairro Sorriso.

Depois do crime, numa segunda-feira (01-07), com o corpo em decomposição e com forte cheiro, Welligton e o garoto, com ajuda de outro amigo, Alexsandro Machado de Oliveira, 20 anos, conhecido como”Me Chupa”, resolveram remover o corpo da vítima do local e levaram para uma Rua não pavimentada do Bairro Sorriso. Lá eles embrulharam o corpo em um lençol e o cobriram com galhos e entulhos.

Após localizarem o corpo, a Polícia Militar conseguiu prender e apreender os envolvidos.  “Diocrim” foi localizado em casa na Rua Cocada, Bairro Sorriso. No local, os militares encontraram um cadeado e a chave da casa da vítima. O menor foi apreendido na Rua Pirulito, Bairro Sorriso, e Alexsandro foi preso no Bairro Caramuru.

Sobre a motivação, Wellignton disse que foi por causa de uma dívida de mil reais que Frederico tinha com ele. Tempos atrás, Frederico havia pegado drogas com ele, mas acabou sendo preso. Depois que saiu da cadeia, Frederico não quis acertar a dívida e ainda estava o “entregando” numa ocorrência relativa a tráfico de drogas.

Em conversa com a nossa o repórter Toninho Cury, Welligton contou todos os detalhes sobre a morte, disse ter se arrependido e falou ainda que Alexsandro não participou do crime, que apenas o ajudou a carregar o corpo da vítima, tirando-o do lote e o levando para a rua não pavimentada. “Cara, eu queria apenas passar um susto nele, mais na hora que ele começou a rir da minha cara, resolvi matar”, disse Diocrim. 

A perícia esteve no local onde o corpo foi encontrado e depois dos trabalhos, levado para o IML de Patos de Minas.


  • Galeria
  • Galeria
  • Patos Notícias
  • Galeria
  • Galeria
  • Patos Notícias
  • Galeria
  • Galeria
  • Patos Notícias