Alunos da Escola Agrícola de Patos de Minas recebem orientações da Polícia Civil para combate ao Bullying

Além de palestra, os alunos entraram em contato com o protocolo americano “Run Hide Fight” (corra, esconda-se, lute), em ação pioneira da Polícia Civil.

02/07/2019 - 09h58

Alunos da Escola Agrícola de Patos de Minas recebem orientações da Polícia Civil para combate ao Bullying

Cerca de 300 alunos da Escola Estadual Agropecuária de Patos de Minas participaram de uma aula diferente. Em duas segundas-feiras (24/06 e 01/07), o Delegado Regional, Luís Mauro Sampaio e o Perito Criminal, Filipe Guelber, estiveram na instituição de ensino para abordar, de forma sistemática, questões de combate ao bullying. Além disso, foi abordada a metodologia que consiste em apresentar a situação do atirador ativo usando o protocolo americano de fuga.

Nas duas semanas, os policiais alertaram os adolescentes sobre a prática de bullying, que pode se tornar uma ação criminosa, sujeita a processo, uma vez que pode ser físico ou até mesmo incidir na prática de crime contra a honra. Nesta primeira parte, o delegado alertou os alunos sobre as “brincadeiras” que podem machucar a alma e fazer com as pessoas, vítimas de situações constrangedoras sofram o resto de suas vidas. Através de vídeo comovente, os alunos entraram em contato com a dor de uma mãe cujo filho tirou aa própria vida, pois sofria Bullying na escola. Com a palestra o delegado Luis Mauro Sampaio quer promover a conscientização dos alunos. “O objetivo é fazer com que os estudantes reconheçam que o bullying existe e como evita-los e que ele pode evoluir para casos como o ocorrido em Suzano, apresentando um treinamento sobre o que fazer em casos eventuais de atirador ativo".

Após a palestra, o Perito Criminal fez a demonstração do protocolo americano contra atirador ativo, mais conhecido como "Run Hide Fight" (corra, esconda-se, lute). Os alunos simularam um episódio e aprenderam como sobreviver a um ataque à escola como aconteceu em Suzano, no início do ano. Ele mostrou que a tendência do atirador é entrar pela porta principal e que em fuga movida pelo instinto, a maioria das pessoas tende a fugir para a porta de entrada e assim a tragédia é maior. Foram feitas diversas simulações a fim de preparar os alunos para eventuais problemas, garantindo sua sobrevivência.

As palestras e simulações encerraram o Projeto de Combate ao Bullying na Escola Agrícola, que foi desenvolvido, no início do ano, pela professora de Língua Inglesa, Simone Marques. “Nossa intenção é reforçar para os nossos alunos que o respeito é a principal forma de vivermos em comunidade sem problema nenhum, além de preparar toda a escola para momentos de tensão que podem acontecer em qualquer lugar, uma vez que não sabemos o que se passa na cabeça de cada um”, explicou a professora.

 

Pioneirismo

O projeto da Polícia Civil de Patos de Minas iniciou-se em abril deste ano, em uma escola da rede particular de ensino, depois foi se expandindo para as escolas públicas. "Trata-se de um chamamento das próprias escolas. O conteúdo deve ser passado para alunos, professores e funcionários, evitando um mal maior, como aconteceu na Escola Suzano, em São Paulo. Caso tivessem conhecimento desse protocolo, com certeza, várias pessoas lesadas ou até as que morreram, teriam saído ilesos da situação", esclareceu Sampaio.


  • Galeria
  • Galeria
  • Patos Notícias
  • Galeria
Fonte e Fotos: ASCOM 10º DRPC