Garoto ingere ácido pensando ser refrigerante e é levado para o Hospital Regional de Patos de Minas

A família teve que acionar a Polícia Militar para garantir o atendimento da vítima.

Toninho Cury
22/06/2019 - 11h33

Garoto ingere ácido pensando ser refrigerante e é levado para o Hospital Regional de Patos de Minas

A Polícia Militar foi acionada, na noite dessa sexta-feira (21-06), para registrar uma ocorrência relativa a uma polêmica de um atendimento de uma criança, de 10 anos, que ingeriu ácido, pensando ser refrigerante. Apesar disso, a criança foi atendida. 

Segundo o boletim de ocorrência, a mãe mora em uma fazenda na cidade de Cruzeiro da Fortaleza, mas o caso aconteceu em uma casa no distrito de Brejo Bonito, onde ela fazia uma faxina. A mulher disse ainda que levou a criança por não ter onde deixá-la na fazenda.

Enquanto a mãe fazia o serviço, a criança ingeriu  o ácido LAT-300 Clorado Plus que estava em uma garrafa pet, provocando lesões na mucosa da boca, língua, traquéia e provavelmente no sistema digestivo. Em princípio, a criança deu entrada na unidade hospitalar na cidade de Cruzeiro da Fortaleza. Mas como se tratava de um caso grave, foi requisitada uma vaga no sistema “SUS-FACIL”, na Gerência Regional de Saúde, mas não foi possível. O gerente do órgão informou que não teria recursos disponíveis no momento.

O médico plantonista da cidade de Cruzeiro da Fortaleza encaminhou o garoto para o Hospital Regional Antônio Dias Maciel, em Patos de Minas. Ao chegar no HRAD, a enfermeira chefe disse que não havia médico pediatra ou especialista na área para fazer o atendimento, que não podia aceitar a internação da criança, uma vez que não  disponha da vaga.

Com o impasse formado, os responsáveis tentaram entrar em contato por telefone com a GRS de Patos de Minas, mas não obtiveram êxito. A Polícia Miltiar foi acionada para registrar um boletim de ocorrência. 

Posteriormente o diretor  técnico do Hospital Regional compareceu ao pronto socorro e se prontificou a prestar os primeiros atendimento a criança até a resolver a situação.

Foto: Ilustração