Café da Região do Cerrado Mineiro alcança novo patamar

A Região do Cerrado Mineiro, única Denominação de Origem para cafés no Brasil, assina convênio inédito com a Associação Brasileira de Indústrias de Café.

04/06/2019 - 15h30

Café da Região do Cerrado Mineiro alcança novo patamar

Um convênio, firmado entre a Federação dos Cafeicultores do Cerrado e a Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC), permitirá a dupla certificação das indústrias associadas. Com a parceria, o produto das empresas pertencentes às entidades receberá o certificado de Denominação de Origem Região do Cerrado Mineiro, além de selo do Programa de Qualidade do Café (PQC). A ação, inédita no país, representa um marco histórico para as Indicações Geográficas, integrando toda a cadeia, desde a produção até a indústria.

Além de garantir ao consumidor o fornecimento de um café com qualidade certificada, a parceria também assegurará a origem dos grãos, a sustentabilidade da colheita e dos processos, entre outros diferenciais. Assim como os vinhos de regiões famosas da Europa, os cafés produzidos na Região do Cerrado carregam o selo de Denominação de Origem, uma vez que  são produtos que possuem características específicas graças a seu meio geográfico e ainda levam o nome de uma região. "O convênio incentiva o alinhamento entre os produtores rurais e industriais de café e possibilita uma oportunidade ímpar de mercado. A expectativa é que mais cafés certificados da região possam ser comercializados e chegar às mesas de todos os brasileiros, com a garantia de procedência e qualidade do produto" destaca Marcos Alves, gerente do Sebrae Minas na regional Noroeste e Alto Paranaíba.

A assinatura do convênio entre a ABIC e a Federação ocorreu no dia 29 de maio, dentro da programação de um dos principais eventos do agronegócio global do café, o Coffee Dinner & Coffee Summit, realizado em São Paulo (SP).

 

Certificação gratuita

As certificações não têm custo para as empresas interessadas. Para obter o documento da ABIC é necessário acessar o site www.abic.com.br/certificação. Já o Selo de Denominação de Origem pode ser solicitado por representantes de indústrias que adquirem café in natura de produtores que já possuem a Certificação de Origem e Qualidade. O pedido pode ser feito pelo site www.cerradomineiro.org.

 

Conheça melhor a Região do Cerrado Mineiro

O Café da Região do Cerrado Mineiro é o único com Denominação de Origem (DO) reconhecida pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). A Indicação Geográfica de um produto agrega valor e eleva as regiões produtoras ao mesmo status dos mais nobres territórios demarcados do mundo, como Bordeaux e Champagne, na França (para vinhos e espumantes) ou Parma, na Itália (presuntos e queijos).

Produzido em 55 municípios das regiões do Alto Paranaíba, Triângulo e Noroeste Mineiro, o café se caracteriza por ser cultivado em um território singular, com perfeita definição das estações climáticas – verão quente e úmido e inverno ameno e seco.  Os cafeeiros são cultivados em áreas com altitude que variam entre 800 e 1300 metros, o que resulta em cafés com identidade única e de alta qualidade.

Atualmente, a participação da região na produção nacional de café corresponde a 12,7% da safra anual. Em Minas Gerais, o café do cerrado representa 25,4% da produção estadual, com uma produção média de cinco milhões de sacas por ano.

Fonte e fotos: Henrique Ulhoa / Prefácio Comunicação

Patos Notícias


Patos Notícias


Patos Notícias