Dois suspeitos de envolvimento no homicídio de Diule Higor são presos no Bairro Várzea

O terceiro envolvido, suspeito de atirar contra a vítima, ainda está foragido.

Caio Machado
10/05/2019 - 15h59

Dois suspeitos de envolvimento no homicídio de Diule Higor são presos no Bairro Várzea Matheus Vinícius Andrade de Jesus, 20, e Matheus do Amaral Gomes, 24, vulgo Di Bomba

Dois suspeitos de envolvimento no homicídio de Diule Higor Mauro da Silva, de 28 anos, foram presos na tarde desta sexta-feira (10), no Bairro Várzea. O suspeito de efetuar os disparos de arma de fogo ainda está foragido.

De acordo com o sargento Valmir Pereira, devido a falta de testemunhas, os policiais buscaram imagens registradas por câmeras de segurança de comércios da região onde o homicídio foi consumado.

Por meio da gravação do sistema monitoramento de um comércio da Avenida Brasil, dois indivíduos foram flagrados em duas bicicletas pequenas. Um deles ficou no local, enquanto o outro deslocou para a Rua Minas Gerais.

Em seguida, o suspeito que havia saído retornou correndo, montou em uma das bicicletas e fugiu com o comparsa pela Avenida Brasil, em sentido à Rua Espírito Santo. Por meio das imagens, os militares identificaram os suspeitos e iniciaram as diligências.

Ao deslocaram para casa de um dos suspeitos, situada na Rua Espírito Santo, os policiais não o localizaram. Porém durantes as buscas, um dos suspeitos foi localizado na Rua Minas Gerais, Bairro Várzea e já se encontrava vestindo roupas diferentes.

O suspeito Matheus Vinícius Andrade de Jesus, de 20 anos, foi encontrado na casa do suspeito Matheus do Amaral Gomes, 24 anos, vulgo “Di Bomba”, que teria dado fuga aos dois envolvidos após a prática do crime.

A dupla nega envolvimento no homicídio e Matheus Vinícius alegou que havia ido até a padaria apenas para comprar um sonho. O terceiro envolvido, ainda não localizado é o suspeito de efetuar os disparos.

Os dois suspeitos, que possuem inúmeras passagens policiais foram conduzidos para a Delegacia de Polícia Civil e as bicicletas utilizadas na ação foram apreendidas.

Segundo o delegado Érico Rodovalho, a vítima Diule Higor Mauro da Silva vítima possuía diversas prisões e envolvimento em guerras de facções. Ele morreu após levar sete tiros, sendo três deles na cabeça.

Diligências continuam sendo realizadas pelas polícia Militar e Civil no intuito de localizar o terceiro envolvido, que se trata de um velho conhecido no meio policial e possui diversas passagens anteriores.


  • Galeria
Fonte e fotos: Igor Nunes