PC efetua prisão temporária de Daniel Tolentino por suspeita de obstrução da investigação

O médico é suspeito pela morte da dentista Roberta Pacheco.

Caio Machado
18/03/2019 - 11h33

PC efetua prisão temporária de Daniel Tolentino por suspeita de obstrução da investigação

Nesta segunda-feira (18), a Polícia Civil (PC) efetuou a prisão temporária do médico Daniel Tolentino, por suspeita de obstrução da investigação da morte da dentista Roberta Pacheco.

De acordo com o promotor Paulo César Freitas, a investigação está avançada e a princípio, sob a ótica do Ministério Público e da PC, suspeita-se que se trata de um crime de homicídio.

“A prisão temporária foi decretada devido ao fato que se tornou imprescindível que o suspeito estivesse detido devido a evidências de ocultação de provas”, relatou o promotor.

Com a prisão de Daniel, os policiais terão mais tranquilidade para investigar e se necessário, a prisão pode ser prorrogada em 30 dias ou convertida em prisão preventiva.

Para o delegado Érico Rodovalho, o suspeito pode ter cometido obstrução da investigação. “As diligências continuam no intuito de localizar o aparelho celular da vítima”, disse.

O delegado informou ainda que alguns dos exames toxicológicos apontam a presença de substâncias entorpecentes no sangue da vítima.

O médico oftalmologista Daniel Tolentino, de 39 anos, possui passagens por crimes de menor potencial e uma passagem por desacato.

 

Leia mais:

Moça de 22 anos é internada após sofrer convulsão em hotel durante ato sexual com namorado

- Familiares de dentista fazem manifestação na porta do Hospital Regional Antônio Dias

- Morre a dentista Roberta Pacheco


  • Galeria
  • Galeria
  • Publicidade
Fonte e fotos: Igor Nunes