Após denúncia, Conselho Tutelar encontra bebê de dez meses com suspeita de abandono e maus-tratos

O recém-nascido foi encontrado em uma casa situada no Bairro Vila Garcia.

14/11/2018 - 14h55

Após denúncia, Conselho Tutelar encontra bebê de dez meses com suspeita de abandono e maus-tratos

O Conselho Tutelar recebeu uma denúncia nesta última terça-feira (13), de que um bebê, de apenas dez meses, estaria sendo vítima de maus-tratos e abandono de incapaz. Conselheiras tutelares foram até a casa, que fica no Bairro Vila Garcia, em Patos de Minas, e encontraram a criança sozinha. Pouco depois, uma menor de 16 anos chegou ao local que disse que teria sido contratada pela mãe para olhar a crianças Segundo informações, a mãe havia saído de casa por volta das 10h e até o final do dia não havia retornado.

Na casa, as conselheiras depararam com uma situação constrangedora e um ambiente impróprio para a criança. Muitas roupas espalhadas pelo chão, sujeira, bagunça, verduras apodrecendo em um canto e total falta de higiene. O mau cheiro na casa era forte e sem a mínima condição para uma criança ser cuidada. Na geladeira, não havia alimento para o bebê, nem leite, apenas latas de cerveja. O menino não teria sido alimentado no dia e estaria com fome. Após a chegada das conselheiras tutelares, populares compraram uma mamadeira e leite para alimentá-lo.

O que mais chamou atenção das conselheiras foi o fato de que a criança apresentava diversos hematomas pelo corpo, nas costas, braços e pernas. Uma vizinha disse a nossa reportagem que chegou a ficar um dia com o bebê a pedido da mãe, mas não imaginava como era dentro da residência. Ela ficou horrorizada com o que viu, e as condições que a mãe vivia com o bebê. O trabalho das conselheiras tutelares foi acompanhado por uma guarnição da Polícia Militar (PM). Os militares localizaram a mãe, de 34 anos, e a conduziu a delegacia para esclarecimentos. O bebê foi levado para fazer exames de corpo delito e depois levado ao Hospital Regional Antônio Dias para atendimento pediátrico e novamente levado para o abrigo na Casa das Meninas.

Essa não foi a primeira vez que o conselho tutelar faz autuação da mãe. No final do mês de maio, ela havia sido autuada pelo mesmo motivo e a criança levada para um abrigo onde ficou por 18 dias. Na ocasião, a mãe alegou que havia sido abandonada pelo companheiro e que ele havia levado os móveis da casa. Por ordem judicial, o bebê foi devolvido à mãe pela justiça. Na época a justiça teria pedido um estudo social da família e que ela fosse acompanhada pelo CREAS - Centro de Referência Especializado de Assistência Social a cada três meses. Mas de acordo com a denúncia, não houve mudança das condições por parte da mãe e o bebê continuou sendo criado sem as mínimas condições básicas de sobrevivência.

Em entrevista exclusiva para a reportagem da Rádio Clube98, a mãe, Rosa Helena Gonçalves Barbosa, de 34 anos, disse que a sujeira da casa teria sido feita por amigos que frequentavam o local. Disse não ser usuária de drogas nem bebida alcoólica. Quanto aos hematomas no filho, disse que ele teria caído da cama em um momento de descuido. Rosa também disse que é separada e tem outro filho de três anos que mora com o ex-companheiro em Almeida Campos, próximo à cidade de Nova Ponte-MG. Há cinco meses ela voltou para Patos de Minas. Ela também disse que quer mudar de onde mora e lutara para recuperar o filho e dar a ele melhores condições de vida.


  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
Fonte: Edvar Santos
Fotos: Aislan Henrique