Premiações e homenagens marcam o encerramento do VI Festival Nacional de Teatro de Patos de Minas

O evento contou com dezenas de espetáculos teatrais e ocorreu entre os dias 9 a 14 de outubro.

15/10/2018 - 10h08

Premiações e homenagens marcam o encerramento do VI Festival Nacional de Teatro de Patos de Minas

O encerramento do VI Festival Nacional de Teatro de Patos de Minas - II Mostra Internacional ocorrido durante o último domingo (14), foi marcado pela entrega de prêmios e homenagens aos participantes, organizadores e atores.

O Coletivo Impossível de Belo Horizonte/MG abriu a programação com a peça teatral “A Cerimônia”, exibida às 10h no Paiolão do Parque de Exposições. Na narrativa, dois personagens em um excêntrico cenário composto por bonecas e tralhas planejam como se tornarem atores de teatro.

Às 14h30, um trio de atores do Espaço Núcleo de Limeira/SP apresentou a peça “Caravela da Ilusão”, onde uma família que naufragou em uma ilha encontra uma oportunidade de mudança após se depararem com um anjo caído.

Em seguida, às 16h, o casal formado pela brasileira Priscilla Bello e o argentino Joaquin Talo, performaram o espetáculo “Nempalavras Nem coisas (Um rio)”, que desconstrói e ressignifica de forma experimental e poética o amor quando abalado por ciclos, rotinas e idiossincrasias.

Um cortejo composto por atores da Trupe Ventania e participantes do VI Festival Nacional de Teatro de Patos de Minas seguiu, às 16h, da Praça Abner Afonso até a Praça do Coreto, onde às 19h, o grupo apresentou um Auto da Folia que retrata de forma humorística o nascimento de Jesus.

 

Encerramento e premiações

 

A cerimônia de encerramento do VI Festival Nacional de Teatro de Patos de Minas – II Mostra Internacional aconteceu às 21h30min no Auditório do Bloco N do Centro Universitário de Patos de Minas (Unipam).

Durante o evento, diversas homenagens foram entregues para todos membros do Núcleo de Arte e Cultura (NAC) e para o corpo de jurados responsável pela avaliação dos espetáculos teatrais composto por Graça Veloso, Maurílio Romão e Romero Nepomuceno.

O grande vencedor do festival foi o espetáculo “Caravela da Ilusão”, que obteve os prêmios de melhor espetáculo, melhor direção, melhor figurino, melhor cenário, melhor ator coadjuvante para Felipe Santos e melhor ator para Matheus Gonçalves.

A peça “Violetas” da Cia Violetas de Teatro de João Pessoa/PB também se sobressaiu e recebeu os prêmios de melhor trilha sonora e sonoplastia e o prêmio de melhor atriz para Mayra Montenegro, que rege o monólogo.

O prêmio de melhor conjunto de elenco foi para a peça “A Cerimônia”, o de melhor maquiagem para o espetáculo “Terra – A história de João Boa Morte, cabra marcado para morrer” e o de melhor atriz coadjuvante para Amália Leal da peça teatral “Resquício”.


  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
Texto: Autor:
Fotos: Marcos Nepomuceno