Grupo TUPAM ganha cinco prêmios no Festival de Teatro de Guaranésia

Cerca de 30 espetáculos das mais diversas regiões do Brasil participaram da mostra competitiva do FETEG – 3ºATO.

11/09/2018 - 15h56

Grupo TUPAM ganha cinco prêmios no Festival de Teatro de Guaranésia

O Grupo de Teatro Universitário de Patos de Minas (TUPAM) participou de 6 a 9 de setembro, da 3ª edição do Festival de Teatro, realizado na cidade de Guaranésia (MG).

Na oportunidade, o Grupo TUPAM trouxe para Patos de Minas cinco prêmios e outras três indicações com o espetáculo “O homem que não sabia sorrir”, em sua primeira participação em festivais.

As premiações conquistadas foram:

 

 CATEGORIA PALCO ADULTO:

  • Melhor Trilha Sonora para Marcello Soares e Luiz Salgado (arranjos de Paulo Henrique Fernandes).
  • Melhor Direção para Consuelo Nepomuceno.
  • Melhor Atriz para todo o conjunto de atrizes femininas do espetáculo (Brendha Lopes, Melissa Alves, Marcella Melgaço, Paula Fernanda, Renata Estevam e Talita Barcelos).

 

CATEGORIA GERAL:

  • Melhor Figurino para Consuelo Nepomuceno.
  • Melhor Espetáculo do Festival

 

As outras três indicações recebidas pelo grupo foram de Melhor Ator (conjunto de atores masculino do espetáculo: Humberto Alves, João Gabriel Sodré, José Vitor Braga, Marcello Soares e Sérgio Gabriel), Melhor Espetáculo de Palco Adulto e Melhor Cenário Geral, para Marcos Nepomuceno.

Cerca de 30 espetáculos das mais diversas regiões do Brasil participaram da mostra competitiva do FETEG – 3ºATO. Além de várias apresentações, o Festival proporcionou uma troca de experiências, por meio de oficinas técnicas, debates e rodas de conversa sobre o fazer teatral e cultural no nosso país.

A peça teatral “O homem que não sabia sorrir”, que estreou em Patos de Minas no mês de agosto deste ano, foi escrita e dirigida por Consuelo Nepomuceno e está alicerçada nas histórias contadas pelos mineiros viajantes que trazem nas malas as suas próprias inquietudes e a história de Jeremias, o homem que não sabia sorrir. De maneira lírica e descontraída, o espetáculo promove reflexões sobre valores baseados nos direitos humanos e na atuação dos mecanismos sociais que interpretam e aceitam o direito de livre escolha e convívio social.


  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
Fonte: ASCOM UNIPAM