PC apresenta oito suspeitos de serem membros de facção criminosa do Bairro Jardim Aquarius

Os envolvidos são suspeitos de crimes de tráfico de drogas e um deles de ter praticado um homicídio no mês de fevereiro.

Caio Machado
14/08/2018 - 11h39

PC apresenta oito suspeitos de serem membros de facção criminosa do Bairro Jardim Aquarius

Na manhã desta terça-feira (14), oito membros de uma facção criminosa do Bairro Jardim Aquarius foram apresentados na Delegacia de Polícia Civil por suspeita de envolvimento em homicídios, tráfico de drogas e associação ao tráfico.

Segundo o delegado Érico Rodovalho, a operação da Polícia Civil (PC) teve início após inúmeras ocorrências de tráfico de drogas, disparos de armas de fogo e tentativas e consumações de homicídios no local.

Foi apurado durante a investigação que a intensa movimentação criminosa se dava em função de uma disputa entre duas facções criminosas por pontos de tráfico de drogas no Bairro Jardim Aquarius.

Chefiados por Érico Rodovalho e Vinícius Volf Vaz e coordenados pelo Subinspetor Terval Carlos, no último dia 2 de agosto, a PC cumpriu mandados de busca e apreensão numa casa de propriedade do investigado Celso Luís de Oliveira, de 29 anos, utilizada como ponto de consumo de drogas.

No início da operação foi constatado que através de um buraco no muro da casa, o suspeito Reinaldo Eustáquio, de 38 anos, atuava como olheiro do local, verificando a movimentação de policiais e de traficantes rivais do bairro.

Durante as buscas, o suspeito João Batista Lopes, de 36 anos, tentou sem êxito dispensar diversas pedras de crack e uma porção de cocaína em um dos cômodos da casa.

Outras cinco pedras de crack foram encontradas nas partes íntimas de Adriana Maria de Jesus, de 35 anos, que foi revistada por uma policial civil feminina.

Erenilda Batista, de 47 anos, e Juraci Pereira da Silva, de 35 anos, também se encontravam no local foram presos no e foi constatado posteriormente que ambos possuíam mandados de prisão em aberto.

Os cinco suspeitos foram apresentados na manhã desta terça-feira, ao lado dos investigados Phatrik Pereira, de 19 anos, Tedy Arcanjo, de 30 anos e Celso Luís de Oliveira, que os investigadores acreditam se tratar do líder do bando.

A Polícia Civil associa os criminosos ao homicídio de Fernando Antônio de Magalhães, ocorrido no último dia 13 de fevereiro na Rua Arthur Magalhães. Acredita-se que Celso Luís de Oliveira tenha sido o mandante do crime, porém os executores ainda não foram identificados.

Juntos, os suspeitos possuem passagens diversas por crimes diversos como tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo, roubo, furto, resistência a prisão, corrupção de menores, lesão corporal, ameaça, embriaguez ao volante, etc.

Os oito suspeitos apresentados respoderão pelos crimes de tráfico de drogas e associação ao tráfico, enquanto Celso e Plabo também responderão por homicídio.

O delegado Érico Rodovalho pede ainda apoio da população do intuito de localizar o foragido Pablo Junio Rocha, vulgo “Cobaia”, 29, líder da facção criminosa rival e suspeito de envolvimento do homicídio de Ederson Rodrigues Silva, 43, ocorrido no último dia 19 de junho na Avenida das Paineiras.


  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
  • Galeria
Fonte e Fotos: Toninho Cury