Paulo Mota defende governo técnico para equilibrar as contas públicas da Prefeitura

O vice-prefeito eleito acredita que a Secretaria Municipal de Finanças e Orçamento deve ser ocupada por técnicos e servidores de carreira, com vasta experiência no exercício de suas funções.

29/12/2016 - 14h32

Paulo Mota defende governo técnico para equilibrar as contas públicas da Prefeitura

O contabilista, empresário e futuro vice-prefeito Paulo Mota (PPS) atuará como articulador na comissão de transição que vai diagnosticar a situação em que o prefeito eleito José Eustáquio Rodrigues (DEM) assumirá a prefeitura de Patos de Minas em 1º de janeiro de 2017.

Paulo Mota ocupou a Secretaria Municipal de Finanças e Orçamento no início da atual administração, mas pediu exoneração em março de 2014, alegando discordar de indicações políticas do prefeito Pedro Lucas (PSD) para cargos estratégicos da sua pasta.

Como secretário, o contador buscou equilibrar as contas públicas para promover investimentos e sanear dívidas herdadas do governo anterior, que giravam em torno de R$ 30 milhões.

Por exigirem know-how e confiabilidade, Paulo Mota entendia que os cargos de comando da Secretaria Municipal de Finanças e Orçamento deveriam ser ocupados por técnicos e servidores de carreira, com vasta experiência no exercício de suas funções.

Para a nova gestão, o vice-prefeito eleito defende a mesma tese para que Patos de Minas possa superar os entraves da situação financeira, já que a dívida estimada do município passa de R$ 70 milhões.

Fonte: Lando Lacerda