Claudio Nasser divulga balanço da própria gestão a frente do Sindicato Rural

O ex-presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Patos de Minas agradeceu o apoio dos associados.

Igor Nunes
21/08/2014 - 23h59

Claudio Nasser divulga balanço da própria gestão a frente do Sindicato Rural

O ex-presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Patos de Minas, Claudio Nasser, divulgou na manhã desta quinta-feira (21) um balanço sobre o período que esteve à frente da instituição. Os números e o agradecimento foram divulgados pela Assessoria de Comunicação. Segue na íntegra: 

Em dois de agosto de 2010, quando assumimos junto à Diretoria a presidência do Sindicato dos Produtores Rurais de Patos de Minas, traçamos várias estratégias e objetivos para darmos à Instituição estabilidade e sustentabilidade. 
Hoje, fazendo uma retrospectiva, percebemos, de forma surpreendente, os resultados positivos que conquistamos juntos, tanto em imagem, em ética, em relacionamentos, em investimentos, em união da classe, em estabilidade financeira, quanto em contribuição e apoio às entidades de classes.  
Agradecemos a oportunidade de representar nosso associado frente ao Sindicato. Foi uma experiência única e engrandecedora.
Procuramos, durante esse período, fazer o melhor, e graças ao apoio incondicional de todos os que se juntaram a essa causa, conseguimos colher bons frutos. 
Ao final deste mandato, deixamos o Sindicato em situação de crescimento em todas as áreas nas quais atua.
Hoje a instituição consegue se sustentar independentemente da Festa Nacional do Milho, o que era um sonho de todos nós. Através do leilão semanal, dos aluguéis de seus espaços, da arrecadação sindical e das anuidades dos associados, conseguimos essa estabilidade. 
Veja o crescimento no quadro abaixo:
Como se trata de um bem público, houve a necessidade de adequar as instalações do Parque de Exposições, atendendo à legislação em vigor, a fim de garantir a segurança e o conforto às pessoas que frequentam esse local, principalmente durante a Festa Nacional do Milho. Portanto, muitos investimentos se fizeram necessários para tornar a instituição apropriada ao desenvolvimento de suas atividades. Assim, garantimos a preservação do patrimônio com legalidade. 
Foram investidos mais 6 milhões de reais na estrutura física do Parque de Exposição. 
* CAMAROTE A 
Finalização do 2º piso
Constr. de banheiros com 11 sanitários e 06 mictórios;
eforma de banheiros 1º piso com 6 sanitários e 6 mictórios;
Instalação de com escadas e emergência;
Ampliação das Barracas do Camarote A;
* CAMAROTE B
Ampliação do Camarote B;
Constr. Cozinha;
Constr. de saída de emergência com escada; 
Constr. de banheiros com 7 sanitários e 9 mictórios;
Constr. Entradas dos Camarotes;
* CAMAROTE C
Constr. de banheiros, com 7 sanitários e 9 mictórios;
Instalação de escadas de emergência ;
Constr. Entradas dos Camarotes;
* ARENA
Constr. de banheiros com 39 sanitários e 73 mictórios;
Instalação de corrimão nas escadas de acesso;
Construção de Tuneis ( Saídas de Emergências) da Arena ;
* BILHETERIA / ENTRADA
Construção da Nova Bilheteria e  Entrada de pedestres;
Ampliação das Entradas e Saídas do Camarote;
* PRAÇA PARK
Constr. de banheiros com 49 sanitários e 54 mictórios;
Cobertura da sala de espera do banheiro Feminino da Praça Park;
Recapeamento em asfalto da Praça Park;
Reforma das barracas da Praça Park;
Constr. de 01 quadro de distribuição de energia;
Automação das tomadas, apagadores e luminárias da praça park;
Instalação de 01 caixa d´água de 25.000 litros
Constr. de banheiros atrás do Restaurante com 26 sanitários e 53 mictórios
Cobertura asfáltica na área da Agrofena;
* PAIOLÃO
Ampliação do palco do Paiolão;
Cobertura em telha na lateral do Paiolão;
Instalação das portas automáticas nas saída de emergência do Paiolão;
Construção de rampa de carga e descarga do Paiolão;
Instalação de tecido anti chama no teto do Paiolão;
Construção de 01 quadro de distribuição de energia;
* FAZENDINHA
Constr. de banheiros com18 sanitários e 22 mictórios;
Constr. das barracas da Fazendinha; 
Constr. de 01 quadro de distribuição de energia;
* RESTAURANTE
Reforma do sistema de gás;
Reforma dos banheiros;
* PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO
Terraplanagem e cobertura em asfalto;
Constr. de rede de esgoto;
* LEILÃO
Pavimentação em concreto dos currais do Leilão;
Construção de 01 quadro de distribuição de energia;
Reforma parte elétrica dos currais e tattersal com automação das luminárias, tomadas e apagadores;
Constr. de alojamento com 01 banheiro para funcionários do leilão;
Construção do Espaço Country;
* MEMORIAL
Reforma do piso e pintura das salas;
* EXPOSIÇÃO
Reforma e pintura nos galpões de gado e equinos;
Reforma das pistas de julgamento;
* SEDE DO SINDICATO
Reforma com troca de portas;
Instalação de CPD com novos equipamentos de informática;
Instalação de sistema de monitoramento por câmeras;
Instalação de ar condicionado nas salas;
Pintura;
* PARQUE EM GERAL
Instalação de concertina nos muros de divisas com o IMA e Chácara Conceição;
Automação das luminárias das Ruas próximas ao Leilão e Estacionamento do Associado;
Constr. de 160 metros de rede de esgoto
Pinturas em Geral;
São muitos os investimentos na área de segurança, como escadas de saída de emergência, adequação do paiolão, adequação da parte elétrica do parque, enfim, investimentos que já se faziam necessários.
Quando nos disponibilizamos a assumir cargos como esse, devemos ter a clareza da nossa responsabilidade civil, ou seja, se estamos à frente de instituições como essa e porventura ela não está adequada, o seu presidente responde diretamente por ela, inclusive com seus bens pessoais.
Nessa mesma linha, também conduzimos o Sindicato administrativamente. Sempre pagamos corretamente os impostos e aplicamos todos os recursos arrecadados de forma transparente e adequada.
Com relação à Festa Nacional do Milho, gostaríamos de comentar alguns aspectos:
- Estruturamos a Festa de forma a representar o máximo possível as expectativas das pessoas que a frequentam, sem comprometer financeiramente a entidade;
- Buscamos os fornecedores e patrocinadores que estavam em sintonia com os dois aspectos acima citado;
- Criamos a Agrofena e o Balaio de Arte e Cultura, espaços que expressam ao máximo a cultura da população patense.
A Agrofena oportunizou uma infinidade de financiamentos para classe produtora, com linhas de crédito garantidas. Se fez a diferença para a agricultura empresarial, para a familiar significou um marco para a região, com mais de 400 tratores financiados.
Para se ter uma ideia, foram financiados na chancela da Agrofena pelo Banco do Brasil mais de 40 milhões  ao ano em média, nessa última edição mais de 60 milhões. 
Por meio do trabalho desenvolvido pela Emater em parceria com o Sindicato, conseguimos, em 2013, financiar, na região do Alto Paranaíba, 120 milhões para a agricultura familiar e em 2014, mais de 80 milhões, dados disponíveis na Emater. 
É com muita satisfação que relatamos essas conquistas, pois, como sabemos, mais de 60% do que consumimos vem da agricultura familiar e nada mais justo do que  essa atenção ao segmento.
Já o Balaio de Arte e Cultura trouxe de volta um público que há muito não se via no parque: tanto os artistas como apaixonados pelas várias manifestações culturais disponibilizadas no evento. O Balaio se consagrou, na opinião pública, como o maior movimento cultural de todos os tempos nessa região. Trouxe alegria, talento, estimulou a arte e evidenciou a cultura regional. 
A Agrofena e o Balaio de Arte e Cultura reinventaram, consagraram, deram força e sustentação às nossas raízes mais íntimas desde a terra a seu povo. Acreditamos que, ao criar e apoiar esses eventos, devolvemos a Patos de Minas e ao seu povo a sua vocação e o seu talento. 
Não tivemos, em 2014, a exposição de gado de corte e de gado leiteiro. Tivemos muitos problemas no ano passado com relação às determinações do Ministério do Trabalho e à maneira como os criadores conduziram a exposição. Fomos multados pelo Ministério do Trabalho, pois, apesar de termos alertados os criadores a respeito das determinações, alguns funcionários estavam sem registro e alojados ao lado dos animais. Disponibilizamos os alojamentos, mas não foram usados. Fato é que estamos com uma ação na justiça, tivemos que dar bens em garantia e vamos demandar, mesmo sabendo que nossas chances de sucesso são mínimas. 
Entendemos a importância das exposições, tanto é que criamos a Fenaleite para fazer jus à grande bacia leiteira, tivemos a exposição de equinos, ranqueada no Mangalarga Marchador. Mas temos responsabilidade frente à instituição e não poderíamos correr o risco de sermos reincidentes por estarmos conduzindo uma atividade que não está em consonância com as leis trabalhistas. Aí sim as penalidades seriam danosas para o sindicato.
Usufruindo de nossos espaços e da oportunidade de negócios durante a Festa Nacional do Milho, foi possível transferimos às entidades assistenciais de Patos de Minas mais de 755 mil reais durante nossa gestão. Dessa forma, o Sindicato também colabora com aqueles que tanto contribuem com a nossa sociedade.  
 
Fotos: Arquivo PATOS NOTÍCIAS

Patos Notícias


Patos Notícias


Patos Notícias