Rio Paranaíba e região ganham Centro de Qualidade do Queijo Minas Artesanal

Centro servirá como importante suporte logístico e viabilizará a comercialização dos queijos para outros estados do país

Agência Minas
21/03/2014 - 23h59

Rio Paranaíba e região ganham Centro de Qualidade do Queijo Minas Artesanal

Será inaugurado nesta quinta-feira (20/03) o Centro de Qualidade do Queijo Minas Artesanal de Rio Paranaíba, na região do Alto Paranaíba. O município e a região são conhecidos por fabricarem o tradicional queijo minas artesanal do Cerrado. O centro servirá como importante suporte logístico e viabilizará a comercialização dos queijos produzidos na região para outros estados do Brasil. A solenidade acontece a partir das 13h, no salão Verde, na rua João Augusto da Rocha, nº 6, em Rio Paranaíba. A cerimônia contará com a presença do secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Zé Silva, e do presidente da Emater-MG, José Ricardo Roseno.
A construção do Centro de Qualidade do Queijo Minas Artesanal é uma parceria entre a Emater-MG, Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e Prefeitura de Rio Paranaíba. O valor total do investimento para a implantação do centro foi de R$ 341.860,18. Os recursos são provenientes do MDA. A prefeitura doou o terreno e a Emater-MG ficou responsável pelo projeto e gestão dos recursos.
O centro é de responsabilidade da Emater-MG e será cedido para a Cooperativa Agropecuária de Produtores de Derivados de Leite do Alto Paranaíba (Cooalpa) pelo período de 10 anos. A Emater-MG dará suporte técnico para os produtores tanto para funcionamento do centro como para assegurar a qualidade da produção. O espaço tem capacidade para maturar 11 toneladas de queijo por mês. Nesse primeiro momento serão beneficiados oito produtores.
“Os queijos produzidos nas propriedades serão encaminhados após sete dias de fabricação para o centro. Ao chegarem, passarão por um processo de seleção, serão lavados e armazenados na sala de maturação climatizada por um período de 15 dias. Após esse prazo, os queijos vão para a sala de acabamento e passarão por uma nova seleção. Em seguida irão para a sala de embalagem. A partir daí, estão prontos para serem expedidos ou estocados na câmara fria”, explica o coordenador Técnico da Emater-MG, Albany Árcega.
O Centro de Qualidade do Queijo Minas Artesanal de Rio Paranaíba é o segundo a ser implantado em Minas Gerais. O primeiro foi o do município de Medeiros, região Sudoeste, onde é tradicionalmente fabricado o queijo minas artesanal Canastra. De acordo com Albany Arcega, os centros viabilizam um acordo entre o Ministério da Agricultura e os serviços de inspeção sanitária do Estado, coordenados pelo Instituto Mineiro de Agropecuária, para a emissão de documento que legaliza a comercialização do queijo minas artesanal para outros estados brasileiros. Esse documento é equivalente ao Sistema Brasileiro de Inspeção (SISBI), do Ministério da Agricultura.
Segundo o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, Zé Silva, idealizador deste projeto, quando era presidente da Emater-MG, há uma grande expectativa nos mercados de outros Estados com o comércio legalizado do queijo mineiro. “A expectativa é grande, pois não há quem não conheça no Brasil a tradição e a qualidade que são referências dos queijos artesanais mineiros”.
Zé Silva ressalta que, nos Centros de Qualidade do Queijo Minas Artesanal, “estas características serão asseguradas ainda mais com a assistência técnica da Emater-MG, para garantir um aumento da produção, a regularidade e a qualidade do queijo minas artesanal, que é um patrimônio cultural de Minas e de todos os mineiros”.
O secretário diz ainda que a inauguração do Centro de Qualidade do Queijo Minas Artesanal em Rio Paranaíba terá grande importância para a atividade no Cerrado. “Os produtores de toda a região, que representam expressiva parcela dos cerca de 30 mil existentes no Estado, terão por intermédio do centro mais condições de obter receita com o queijo que será maturado no Centro a fim de ser vendido para todo o país. Serão realizados programas de qualificação para produtores e técnicos a fim de garantir uma produção de conformidade com as práticas sanitárias exigidas para a ampla comercialização do queijo.”
Para o presidente da Emater-MG, José Ricardo Roseno, os Centros de Qualidade do Queijo Minas Artesanal estão dentro das ações de fortalecimento da agricultura familiar. “A iniciativa favorece diretamente o agricultor familiar, dando-lhe possibilidade de aumentar sua renda através da atuação coletiva, do cooperativismo e associativismo, que serão suportes para a comercialização em todo o Brasil. Sozinho fica difícil o agricultor familiar comercializar em outros estados do país, mas unidos e respaldados por um centro de qualidade, ficam fortalecidos”.
Foto: Divulgação

Patos Notícias


Patos Notícias


Patos Notícias