Uso de agrotóxicos é tema de discussão em Encontro Microrregional

A oficina tem como objetivos alinhar o conhecimento sobre a temática dos agrotóxicos com os agentes municipais de saúde, identificar os principais problemas relacionados ao uso dos agrotóxicos nas mic

18/12/2013 - 23h59

Uso de agrotóxicos é tema de discussão em Encontro Microrregional

A Seapa e a Diretoria de Saúde do Trabalhador da SES –MG realizam nesta terça-feira (17) e quarta-feira (18) a Oficina Microrregional de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos nas Microrregiões de Passos, Piumhi e São Sebastião do Paraíso, em Capitólio, no Sul de Minas. A oficina tem como objetivos alinhar o conhecimento sobre a temática dos agrotóxicos com os agentes municipais de saúde, identificar os principais problemas relacionados ao uso dos agrotóxicos nas microrregionais e definir as estratégias e ações para o trabalho integrado para minimizar os danos à saúde causados pela exposição aos agrotóxicos.
 
A orientação dada pela SES é que profissional de saúde pergunte ao usuário da rede pública de saúde que tipo de atividade ele estava executando no momento em que começou a sentir mal-estar, dores, e demais sintomas, em vez de perguntar apenas a profissão. O objetivo é garantir a notificação qualificada de intoxicação por uso de agrotóxicos. Entre os anos de 2007 e 2012 as notificações subiram de 57 à 300 casos de intoxicação, segundo dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação – SINAN, do Ministério da Saúde, mas segundo a Secretaria de Estado de Saúde, o número poderia ser superior.
 
 
“Para cada notificação de intoxicação existem 10 que não são notificadas ou são subnotifcadas, o que dificulta a exposição do problema e essa área acaba ficando carente de ações”, explica a Diretora de Saúde do Trabalhador e Coordenadora dos Centros de Referência à Saúde do Trabalhador da Secretaria da Saúde, Elice Eliane Nobre Pinheiro. Na oficina, cada equipe de saúde dos municípios deverá criar um plano de ações voltadas a garantir o diagnóstico correto relacionado ao uso de agrotóxicos, e aproximar os dados das notificações à realidade.
 
 
Os dados gerados vão servir para a criação de políticas públicas com ações integradas a fim de minimizar ou erradicar os danos à saúde dos trabalhadores rurais.
 
 
O agrotóxico é um dos mais importantes fatores de risco para a saúde humana e as principais exposições ocorrem na atividade de agropecuária, na saúde pública, em empresas desinsetizadoras e em empresas de transporte, comércio e produção de agrotóxicos.
 
 
“Temos o compromisso de fazer com que a informação chegue ao produtor para que não faça uso inconseqüente de agrotóxicos”, explica o coordenador do Programa de Mitigação do Uso de Agrotóxicos, da Seapa, João Nelson Rios.
 
 
O Brasil é o maior consumidor de agrotóxicos no mundo, segundo dados do IBGE. Enquanto a média mundial é de 2 kg por hectare ao ano, no Brasil a média é de 5 kg por hectare ao ano. Minas Gerais consome 1,68 kg de agrotóxicos por hectare ao ano, e é o sexto estado no ranking nacional. A solução apontada na oficina é a agroecologia.
 
 
“Os agrotóxicos eliminam os inimigos naturais das pragas,e as pragas são eliminadas, mas voltam cada vez mais resistentes, e as culturas cada vez mais dependentes de agrotóxicos, a saída é a transição para um sistema de produção agroecológica”, salienta Rios.
 
 
Fonte: Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) – Assessoria de Comunicação Social

Patos Notícias


Patos Notícias


Patos Notícias