Em menos de três meses foram notificados em Patos de Minas mais casos de dengue que em todo o ano de 2012

19/03/2013

Preocupadas as autoridades pedem a colaboração da população.


 



O aumento do número de casos de dengue notificados em Patos de Minas nos últimos dias tem preocupado as autoridades. Nesses primeiros meses do ano já foram registrados mais casos que durante todo o ano de 2012 e os profissionais da saúde garantem: o combate à doença depende do comprometimento e colaboração de toda a população patense. 


De acordo com o diretor da Gerência Regional de Saúde, Lindomar Babilônia, 119 casos de dengue foram notificados em Patos de Minas até agora no ano de 2013. O alarmante é que esse número cresceu muito nos últimos dias. E Lindomar garante: ainda não estamos no período crítico para o contágio da doença. 


A notificação dos casos é feita pelos médicos que atendem os doentes diretamente à Gerência Regional de Saúde. O número é alto e comparado ao ano passado é motivo para grande preocupação. Além dos casos que as autoridades tomam ciência, há ainda aqueles que não chegam ao conhecimento dos profissionais da área. A situação se agravou em todo o estado de Minas Gerais. O governo estadual contratou em caráter de urgência mil novos agentes de controle de endemia. Dessas novas contratações um agente veio para a região de Patos de Minas, estando empenhado na cidade de São Gonçalo do Abaeté, onde o índice de infestação é ainda maior que em Patos de Minas.


 De acordo com o último boletim epidemiológico da dengue divulgado pelo governo estadual, já foram registrados 23 óbitos em Minas Gerais, nove deles na região de Uberaba. Em Patos de Minas ainda não foram notificados casos de dengue hemorrágica ou óbito causado pela doença, mas os agentes de controle de endemia do município intensificaram os trabalhos a fim de amenizar os efeitos do aumento de focos. O diretor da Superintendência Regional de Saúde diz que, se as pessoas soubessem da gravidade da situação elas se preocupariam e tratariam de exterminar os focos. 


Comparando com o ano de 2012, a situação na cidade de Patos de Minas é preocupante. E as autoridades contam que ainda não passamos pelo período de maior incidência de casos, que compreende as últimas semanas do mês de março. O aumento nesse período se deve a fatores climáticos e a melhor forma de prevenir é exterminando os focos do mosquito Aedes Aegypti. Para isso as autoridades pedem o apoio e comprometimento de toda a população. De acordo com Lindomar Babilônia, a maioria dos focos é encontrada nas residências habitadas, muitos deles dentro das próprias casas. Qualquer recipiente que acumule água pode ser um criadouro para o mosquito. E se engana quem acha que o “fumacê” utilizado pelos agentes tem poder para exterminar os perigosos insetos. De acordo com o diretor da superintendência, os danos causados ao meio ambiente pelo fumacê podem ser maiores que os benefícios, e por esse motivo o artifício só é usado em casos extremos, quando há necessidade de fazer bloqueio de foco. 


Preocupado com a saúde pública na cidade de Patos de Minas, Lindomar pede que a sociedade se conscientize e que cada morador faça a sua parte. O poder público está agindo para evitar danos maiores, mas cada pessoa deve cuidar de si e dos que estão a sua volta. 


A dengue é uma doença com sintomas fortes, que deixam a vítima acamada por mais de uma semana. Nos tipos mais comuns a doença é controlada com tratamento adequado e muita hidratação. Mas não se deve esquecer que o quadro pode evoluir para o tipo Dengue Hemorrágica, podendo levar o doente a óbito. 

Autor: Íris Mota - Foto: Arquivo PN

Comentários

  • Tiãozinho da Bastiana | 19/03/2013

    Lá no Alto Limoeiro tem centenas de recipientes que servem para reprodução do mosquito. É um tal de um kartódromo com pneus velhos pra todo lado e ninguém fala nada. Cadê o MP? Quando é que vão retirar aquele criatório de mosquitos de lá? Tomara que alguém denuncie ao Ministério da Saúde e a prefeitura pare de receber verbas!!!!!!!!!!!

  • ANA CIDADÃ | 19/03/2013

    Muito nos espanta a reportagem dizer que o poder público está agindo para evitar danos maiores. A situação do chamado "ecoponto" traduz toda essa preocupação. Convidamos a população patense a conhecer o depósito de pneus, a céu aberto nas ruas do bairro Planalto.É na continuação da Avenida do Ceasa, lá do Estádio Bernardo Rubinger dá para ver. Parece que a preocupação é com a criação de lugares adequados para que o mosquito da dengue possa se reproduzir adequadamente, sem ser incomodado. Dessa forma, não dá pra cada pessoa cuidar de si e dos que estão a sua volta, senhor diretor.

  • barbudo | 19/03/2013

    é importante salientar em que bairros existe mais casos para que as pessoas fiquem mais alertas e evitem estes lugares.URGENTE

Comentar Notícia

PUBLICIDADE

VIDEOS

PATOS NOTÍCIAS| Patense vence concurso de desenho contra homofobia

20/06/2014

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

AGENDA
FOTOS

PARCEIROS