Conheça a Cidade


Patos de Minas está situada na região intermediária às regiões do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. Considerada pólo econômico regional, lidera a microrregião do Alto Paranaíba, composta por 10 municípios. De acordo com último senso do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2010 a população do município era de, aproximadamente, 138.836 mil habitantes.

A cidade ganhou projeção nacional através da “Festa Nacional do Milho” (Fenamilho), realizada anualmente em junho e que movimenta vários setores da economia. A feira de agronegócios, Agrofena, é realizada desde 2010 concomitantemente à Fenamilho.

O município ocupa uma posição privilegiada no ranking das cidades mineiras: está entre as 20 maiores cidades de Minas Gerais em arrecadação geral de tributos do 16ª maior cidade do Estado Estado em população.

Um levantamento feito pelo Instituo de Pesquisas Econômicas Aplicadas (IPEA) e publicado na revista Veja em 2001 apontou Patos de Minas como o quinto município mineiro com maior desenvolvimento econômico entre 1970 e 1996. Foram pesquisados cinco mil municípios brasileiros, de 50 a 500 mil habitantes.

Segundo dados do IBGE de 2008, Patos de Minas ocupa juntamente com outros municípios mineiros, a 3ª posição no ranking mineiro dos municípios com melhor IDF (Índice de Desenvolvimento Familiar) e um dos melhores do país.

Vários fatores contribuem para o sucesso econômico e social de Patos de Minas, entre eles a localização estratégica: a cidade liga grandes centros comerciais como São Paulo, Uberlândia e Belo Horizonte, o que facilita o intercâmbio comercial, o desenvolvimento ordenado e a qualidade de vida da população.

O cuidado com as praças, jardins e espaços públicos em geral, também é uma particularidade do município. A arborização enche a cidade de verde, de vida e de cheiro agradável, além de amenizar as elevadas temperaturas do verão tropical. Outro aspecto que chama a atenção é a hospitalidade do povo patense: gente acolhedora sempre disposta a ajudar e atender bem a quem chega.

A história de Patos de Minas

O processo de colonização da região ocupada pelo município de Patos de Minas e distritos vizinhos teve início, provavelmente, na metade do século XVIII. A picada de Goiás foi o primeiro caminho oficial aberto das Minas Gerais ao território de Goiás. A partir desse período, encontra-se registrada a denominação "Os Patos" para designar a povoação à beira desse caminho. O Município surgiu às margens das fontes de águas do caminho em busca do ouro, de São João Del Rei à Paracatu.

Patos de Minas surgiu na segunda década do século XIX em torno da Lagoa dos Patos, onde, segundo as descrições históricas, existia uma enorme quantidade de patos silvestres. Os primeiros habitantes foram lavradores e criadores de gado, sendo muito visitados por tropeiros. O povoado à beira do rio Paranaíba, cresceu, virou arraial e depois vila: Santo Antônio dos Patos.

Em 24 de Maio de 1892, o presidente do Estado de Minas Gerais elevou a vila à categoria de cidade de Patos de Minas. Em 1943, o governo do Estado mudou o nome para Guaratinga, o que provocou insatisfação na comunidade. Diante dos apelos populares, em 03 de Junho de 1945, a cidade voltou a ser nomeada Patos de Minas. Seu aniversário é comemorado em 24 de Maio, ocasião em que se realiza a "Festa Nacional do Milho".

Anos 1930: o desenvolvimento maior do município nesse período, quando o presidente do Governo Estadual foi Olegário Maciel. Em seu governo, foram instalados a sede da Escola Normal (atual Escola Estadual "Professor Antônio Dias Maciel"); o Hospital Regional "Antônio Dias Maciel"; o Fórum " Olympio Borges" e o Grupo Escolar " Marcolino de Barros".

Anos 1960 e 70: a cidade passou por um período de estagnação econômica, provocada pela criação de Brasília - cidade que atraiu boa parte da população patense, que buscava emprego. À época, foram implantados a CEMIG, o Colégio Municipal e o primeiro curso superior, a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Fundação Educacional de Patos de Minas (atual UNIPAM). No final dos anos 1970, a descoberta da jazida de fosfato sedimentar projetou Patos de Minas nacionalmente. A cidade recebeu a primeira visita de um Presidente da República em 1974, na ocasião, o General Ernesto Geisel.

Negócios e desenvolvimento

Agroindústria, agricultura e pecuária: o agronegócio e a agroindústria são considerados grandes potenciais econômicos do município. O "boom" agropecuário teve início na década de 1970 com o projeto “Polocentro”, do Governo Federal, que vislumbrou o aproveitamento agrícola do Cerrado cobrindo-o de lavouras.

A agricultura é bastante diversificada com produção de grãos e hortifrutigranjeiros. Os produtos que se destacam são o milho, arroz, soja, feijão, café, maracujá, tomate e horticultura. A bovinocultura possui significativa importância econômica e social para o município, com um rebanho de 180 mil cabeças (levantamento da Prefeitura Municipal - ano 2000). A cidade também é considerada pólo nacional de genética suína, detendo 70% da tecnologia nacional em melhoramentos suínos.

Indústria, comércio e serviços: com mais de 400 indústrias e de 2 mil estabelecimentos comerciais, o município participa com 0,38% da arrecadação do ICMS no Estado de Minas Gerais. Somando-se a outras receitas, ocupa o 20º lugar na arrecadação geral mineira. Patos de Minas é tida como referência na prestação de serviços para diversos municípios do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. Nas décadas de 1980 e 90 o crescimento deste setor somou mais de 130%.

Agência de Desenvolvimento: Patos de Minas conta com uma Agência de Desenvolvimento, a Adesp, que é responsável por fomentar políticas que visam a inserção definitiva e sustentada do município no processo de desenvolvimento econômico e social. Criada em 1999, a Adesp é uma entidade sem fins lucrativos, reúne 22 parceiros e é dirigida por 15 integrantes;  possui entidades parceiras como a Prefeitura Municipal, Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Sindicato dos Produtores Rurais, Centro Universitário de Patos de Minas (UNIPAM), Senai e Senac.

Infra-estrutura

A cidade é moderna, limpa, bem organizada, de topografia plana e clima agradável. Cerca de 99% das ruas da cidade são asfaltadas e possuem iluminação pública. Quase a totalidade dos habitantes (97%) são beneficiados com água tratada de excelente qualidade e sistema de esgoto. O sistema de abastecimento de água da Copasa em Patos foi premiado por 2 vezes pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes), recebeu o Prêmio Nacional de Qualidade em Saneamento (1999 e 2002).

Em 2002, o sistema de esgotamento sanitário atinge cerca de 98% da população.

A saúde do município é destaque em Minas Gerais e no Brasil devido aos programas desenvolvidos, aos postos de assistência localizados em áreas estratégicas e aos baixos níveis de mortalidade infantil registrados. Os hospitais particulares e públicos têm capacidade de 300 leitos.

A rede escolar possui boa infra-estrutura - entre escolas estaduais, municipais e particulares - do ensino infantil ao 2º grau e do profissionalizante ao universitário. Em 2000 a rede municipal atendia mais de 10 mil alunos e a evasão escolar era quase nula. Considerada pólo educacional, a cidade é sede da 28ª Superintendência Regional de Ensino, que abrange 14 municípios.

Eventos

A principal festa de Patos de Minas é a “Festa Nacional do Milho” que é realizada há mais de 50 anos. A Fenamilho consiste na tradicional exposição agropecuária, com diversas atrações de shows musicais, mostras culturais e artesanato, além da eleição da Rainha Nacional do Milho. O evento é realizado no Parque de Exposições “Sebastião Alves do Nascimento”.

Outras festas e eventos importantes no calendário da cidade são: Festival de Dança e Música na Praça; Festa em Louvor a Santo Antônio; Festa Julina do 15º BPM e Forró do Lions.